Subscribe Now: standard

quarta-feira, 11 de março de 2009

Carne Recheada



Carne, ainda um dos meus pecados. Quem resiste aquele cheiro de churrasco...tenho uma tese de que o cheiro é ainda melhor que o sabor, realmente pecaminoso.
Esta carne recheada é muito simples de fazer e fica realmente deliciosa. Usei um pedaço de fraldinha, pois acho esta carne muito legal para assar, pois é macia e o preço $$$ bem suave.
Agora, não façam igual ao que fiz, verifiquem primeiro de existe barbante em casa, porque senão a sua carne vai ficar com este aspecto esquisito quando você for cortar, hehehehe...Bom apetit.

Carne recheada - aqui
1 pedaço de fraldinha (+/- 800g)
1 pimentão vermelho assado
100g de mussarela
1 maço de cheiro verde
2 dentes de alho
2 cebolas
2 colheres de sopa de vinagre balsamico
2 colheres de sopa de azeite de oliva
sal e pimenta à gosto

Caso seu pedaço de carne seja um lagarto ou outra carne mais dura e difícil de trabalhar, coloque a carne em uma superfície entre dois pedaço de plástico e bata, até obter um "bifão".
Coloque o azeite, o alho socado, o vinagre e faça uma marinada para colocar a carne, deixe descansar por 30 minutos.
Depois da carne já ter ficado na marinada, pegue o pedaço da fraldinha e abra numa superfície plana, salpique sal e pimenta por toda a carne, dos dois lados. Coloque a mussarela em cima da carne, o pimentão já picado em tiras, e o cheiro verde, também já picadinho. Enrole a carne como um rocambole e amarre bem com um barbante, em torno do rocambole todo. Pincele a carne com azeite e leve ao forno médio, até que a carne esteja cozida. O ponto de cozimento vai depender do seu gosto, ao ponto, mal passada, ou bem passada.


Fotos Ana Paula Souto

quinta-feira, 5 de março de 2009

Jantar romantico e a Sopa de tomates dos Açores






Ultimamente não tenho tido muito tempo para elaborar pratos mais rebuscados, pois os outros afazeres estão me deixando extremamente cansada e olha que acabei de vir de férias.
Nunca imaginei que a falta de uma ajudante em casa me fosse um fárduo tão pesado. Pobres profissionais que são pouco reconhecidas, talvez por falta de profissionalismo, talvez por falta de ensino fundamental, ou talvez por nossa sociedade, que mantém a cultura de uma profissão de nível inferior. E são essas mulheres que muitas vezes aguentam nossa TPM, nossos filhos manosos e deseducados, nossas manias e reclamações e que também tem em sua vida familiar, filhos, maridos e problemas, dos quais não temos conhecimento e sempre queremos uma profissional apta a cumprir nossas ordens e desejos.
Afinal, por que estou a filosofar em tal assunto, talvez seja pelo motivo de estar sem ajudante à hum ano e tal fato tem me deixado além de cansada, um tanto sem paciência, principalmente para cozinhar, pois a cozinha por obrigação do dia dia é extenuante. Bem, mais mudando de assunto e falando de coisas boas resolvi fazer um jantar romântico pro maridão e sair um pouco da rotina. Preparei a mesa com o carinho que a ocasião merecia enquanto meu maridão colocava a Anjinha para dormir, e olha que isso demora, pois tem sempre que contar história e depois ela quer outra história e assim vai....
Pesquisando em alguns blogs que acompanho achei
aqui, esta receita que me pareceu ideal para um jantarzinho leve e saboroso. Já fiz outras sopas de tomate, inclusive Gaspacho e nenhuma tinha me agradado, como esta o fez. A chamei de sopa de tomates dos Açores em função da história contada pelas autoras do blog e não porque a minha foi feita com os tais tomates. Aqui no Brasil não temos as variedades dos tomates da Europa, principalmente os da Itália que são deveras suculentos e adocicados, e tentando me aproximar de tais sabores comprei tomates italianos bem maduros e me pus a executar a receita, que de cara me pareceu ser muito saborosa em função da mistura dos ingredientes.
E para fechar a noite ou abrí-la..., um vinho branco de procedência da África do Sul, que gosto muito, pela frescura, pouca acidez e o sabor acentuado de suas uvas. O Fleur du Cap em especial é um dos mais importantes vinhos da África do Sul, sendo que sua
vinícola respeita as diretrizes internacionais para garantir a preservação do meio-ambiente nas práticas vinícolas. Sua colheita é manual e a elaboração artesanal.



Sopa de tomates dos Açores
Ingredientes:
650 g de tomate maduro
500 ml de água
1 cebola grande
2 ovos
1 dente de alho
Coentros picados (1/3 do molho)
Sal
Pimenta

Descascar os tomates tirando a pele e as sementes, caso você não tenha um descascador apropriado, coloque os tomates para ferver por 1 ou 2 minutos e depois de frios as peles saem com facilidade. Numa panela, refogar a cebola com o azeite até ficar bem macia, sem deixar queimar. Juntar o alho picado. Adicionar os tomates, que devem ser cortados sem preocupação. Temperar com sal e deixar apurar uns 5 minutos. Colocar a água quente, na receita original elas usaram 1 litro, porém achei muito e diminuí. Juntar uma parte dos coentros picados. Assim que estiver fervendo, baixar o foga e deixar por cerca de 15 minutos. Apagar o fogo, temperar com pimenta e sal. Bater bem 2 ovos. Juntar os ovos à sopa, mexendo sempre com um garfo. Levar a sopa ao fogo 1 ou 2 minutos para cozinhar os ovos. Finalizar com o resto dos coentros picados. Caso você não goste muito de coentros, diminua a quantidade, porém não os exclua da receita, pois dão um aroma e sabor peculiar e necessário. E bom apetit.


Fotos Ana Paula Souto

Escondidinho de carne moída



Como já postei anteriormente, tento aproveitar as sobras de forma a fazer novos pratos, que agradem pelo sabor e pela aparência.
Aqui em casa faço muito carne moída, pois é um meio de fazer minha filhota comer carne, de uma forma mais rápida, pois nunca vi demorar tanto para mastigar, nem parece que tem dentes, e olha que já nasceram todos. Acho que ela vai comer churrasco só com 15 anos...
Então sempre tem carne moída por aqui e sobras dela, então vamos fazendo várias comidinhas, e desta vez tinha uma sobra de catupiry prestes a ficar esquecido na geladeira, o que seria um pecado.
Mais chique seria um escondidinho de carne seca ou até camarão, aí seria supimpo, mas tive que usar a simples carne moída, e mesmo assim ficou tão bom que dava para repetir.

Escondidinho de carne moída
Ingrediente:
carne moída já pronta
1k de aipim
catupiry
manteiga
1 gema

Modo de fazer:
Colocar o aipim para cozinhar em água com sal, até ficar bem mole, é importante ser um aipim de boa qualidade para poder amassar sem muito sacrifício.
Depois de cozido, amassar até virar um puré, colocar um pouco de manteiga para fazer a liga.
Pegar os ramequins e forrar com o puré de aipim, colocar a carne moída de forma a fazer uma caminha para acomodar o catupiry e, por fim fazer uma tampa com o puré e fechar o ramequim. Pincelar com a gema de ovo e colocar em forno médio, por volta de 180°.


Carne Moída
Ingredientes:
1 k de chá ou patinho
2 dentes de alho
2 c. sopa de molho de tomate
sal
óleo

Modo de fazer:
Temperar a carne com o alho amassado e sal. Deixar descansar por volta de 30 minutos. Em uma panela deitar um fio de óleo, esquentar e colocar a carne. Aí vem o segredo para a carne ficar bem soltinha, 1º pedir ao açougueiro que passe 2 vezes pelo moedor e na hora de fritar a carne, com auxílio de uma colher de pau ir socando a carne até não haver mais nada empelotado. Aí então colocar o molho de tomate e água suficiente para cobrir a carne. Diminuir o fogo e corrigir o sal. Deixar a água ir secando até a carne estar cozida e macia, caso necessário vá colocado mais água aos poucos.