Subscribe Now: standard

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Selinho e pedido de desculpas


Há algum tempo estou atrasada nas postagens, já fiz algumas comidinhas e sobremesas, diga-se de passagem, "sorvetes" e ainda não consegui postar, o tempo anda curto e rápido pelas minhas bandas.

Este selinho ganhei da Bruxinha, que tem um Blog sobre plantinhas, em especial suculentas. Quero pedir desculpas, pois já faz ganhei a algum tempo e realmente não deu tempo de postar, sorry!!!!

Seis curiosidades sobre mim:
1 - não gosto de conversar ao telefone
2- adoro siri
3 - gosto muito de clima frio
4 - amo a natureza
5 - por mim viveria no topo de uma montanha
6 - gosto de pescar

Então em agradecimento a Bruxinha, aí vão as fotos das minhas suculentas, são pouquinhas, mas muito amadas.


segunda-feira, 27 de abril de 2009

Capanemia superflua

Certo dia de manhã, estava a cuidar das orquídeas, quando levei um susto...ví aquela pequenina orquídea em flor e não consegui acreditar. Como já falei anteriormente o clima da minha região não é muito bom para micros, pois faz muito calor e elas preferem um clima mais úmido e frio, entre 20 e 25°C de dia e uma média de 15°C a noite. Porém como sou teimosa, vou tentando cultivá-las.
A espécie Capanemia superflua (Reichb.f.) Garay é com certeza a planta de floração mais bela, vistosa e compacta dentre todas as do gênero. Endêmica do sudeste e sul do Brasil, suas hastes florais pendentes saem da base do pseudobulbo portando diversas flores brancas delicadas, quase translúcidas, com mácula amarela na base do labelo e estrias difusas de lilás suave ao longo das pétalas e sépalas.
Esta Capanemia esta plantada em uma rolha de cortiça, e é muito, mais muito pequena e delicada, a flor da foto tem em torno de 1cm.
Já ví fotos desta mesma espécie bem maiores e com florações abundantes, então acredito que esta floração deve ser a primeira. Vamos esperar as próximas.


quarta-feira, 15 de abril de 2009

Miltonia clowesii

Este mês estou mais para os vasos que para as panelas, talvez porque esta época do ano seja bem favorável no meu orquidário, apesar de ontem ter descoberto que algumas orquídeas foram atacadas de novo pelas cochonilhas, o que é um tormento por aqui, uma luta constante.
Há muitos anos, estive em Friburgo num sítio de um amigo e ví numa árvore várias e várias orquídeas, na época já gostava delas, porém não tinha conhecimento suficiente para cuidar, mesmo assim pedi ao meu amigo umas mudinhas. Levei para casa e plantei em um vaso de barro, sem furo nas laterais e com bastante terra, imagina só, um pecado para este tipo de orquídea, já que é uma epífita. Os meses foram se passando, os anos e nada de flor, porém ela ia crescendo cheia e bonita. Já tinha desistido das flores, quando em certo ano, a Miltonia se encheu de flores, lindas, bem branquinhas e com o labelo estriado de rosa, fiquei tão feliz e agradecida a plantinha por ter me brindado com aquelas flores tão delicadas. Anos depois fiquei sabendo que se tratava de uma Miltonia spectabilis e que elas não gostam de clima quente, um contraste muito forte, pois morava no Rio de Janeiro e o verão é escaldante. Toda orquídea é um mistério e devemos ter calma e perseverança para cultivá-las.
Esta Miltonia floriu em janeiro deste ano, mas estou um pouco atrasada nas postagens. Já é a sua segunda floração, acredito que na próxima a haste floral venha com mais botões.